4.12.06

Se a Baixa se afundasse

As casas da Baixa estão suportadas por estacas de madeira, mergulhadas em água há 251 anos. Se não estivessem submersas, a madeira apodrecederia e a Baixa ruiria, sem apelo nem agravo. Perder-se-ia o palco dos mimos da rua Augusta, o Martinho da Arcada de todas as revoluções, a Fnac, o semanário Sol, a vista do Chapitô, a loja indiana que vende Marlboros à unidade, o postal do arco da rua Augusta e a casa nova do Tiago, num quinto andar sem elevador.

Por outro lado, se a Baixa se afundasse, a maior árvore de Natal da Europa seria engolida pelas águas e acabariam os imbecis engarrafamentos deste fim de semana, com hordas de famílias a percorrerem as estradas suportadas por estacas para ver as decorações luminosas da capital.

...

Não há dúvidas, portanto: afundemos a Baixa.

2 comentários:

pinky disse...

realmente o raio da árvore só serve para empatar! ontem fui á pça do comércio vêr uma exposição e tive literalmente de remar contra a maré para lá chegar!

Lua disse...

Acabadinha de chegar do Porto, só tenho uma coisa a dizer, meu amigo: Lisboa é a cidade mais linda do mundo! (árvore incluída)... e a Baixa enche-me o coração. Tive de correr para lá hoje, deixar-me inundar de branco depois do cinzento da invicta.