19.10.06

Lisboa Sound Sistem

Jantar marcado à última da hora com trupe de jornalistas. É curioso, com as mesmas exactas pessoas já se verificaram inúmeras tentativas de jantar, saídas, uns copos – mas acabaram por ser inevitavelmente adiados, anulados, reagendados, apesar de ficar tudo combinado uma semana antes. Ontem, telefonemas com três horas de antecedência e a coisa funcionou na perfeição. Às dez no karaoke chinês.
Já lá tinha ido com a Pats e a sugestão [deveria dizer a culpa] foi dela. Juntaram-se a Lena, o Silvestre e a Cate [uma ode à pontualidade, estes dois últimos]. Pedímos Chao Min de gambas, uns crepes vietnamitas, comemos com talheres. Mas o melhor foi a música de fundo. Numa sala anexa, e com a porta fechada, ouvia-se o canto estridente de uma família chinesa fechada numa sala de karaoke:
«Poing Ton Lááááá
Ling Hua Kaaaa
Ngui Tiiiiinnnn»

Dois dias antes, e como aliás é costume, fui ver o jogo do Benfica ao Lizarran com o Ricardo e o Torcato [melhor nem falar no resultado]. Apanhámos um táxi porque queríamos entrar em estágio [umas cervejas] antes do início da partida. Pois bem, o nosso taxista era uma joia de moço – 60 e tal anos, uma voz serena e o rádio ligado no rosário da Rádio Renascença.
Engoli em seco e não disse nada os primeiros minutos. Mas, na terça-feira, mercê da chuva e da Liga dos Campeões, o trânsito em Lisboa estava caótico. Demorámos uns valentes quinze minutos de «pai nosso que estais no céu» e eu começava a ficar verdadeiramente angustiado «e não nos deixeis cair em tentação», até que acabei por pedir-lhe que ele mudasse o posto «glória ao pai e ao filho e à porra do espírtito santo». O taxista, no entanto, «cheia de graça, senhor é convosco», recusou o pedido porque depois não sabia sintonizar de novo o rádio em tão religiosa estação «como era no princípio, agora e sempre». Pedi para sair do carro. «Amén».

Quão insana pode ser a banda sonora de Lisboa? Karaoke chinês para jantar, o rosário para uma viagem de táxi, já estou à espera que um destes dias me ofereçam Tony Carreira na estação de metro. Adiante, que em minha casa mando eu. Logo, quando estiver a preparar o jantar, vou deixar o Chet Baker ecoar na sala e limpar a alma sonora à cidade.

3 comentários:

S.L.B. disse...

Vê lá se estabilizas de vez! Estou farto de mudar o link no meu blog! :-) Abraço.

Margarida disse...

E há outro sound: o instrumental final. Piadinhas privadas 4ever. Montes de bjs!

pinky disse...

hahahaha boa! muito boa! banda sonora de lisboa...hahahah agora essa do karaoke chinês, isso vais ter que dizer onde é! porque um sitio kitsh desses não se deixa passar ao lado...deve ser diversão na certa!